Idade Maior

Cuidados com a pele em cada idade

, 7 comentários

Limpeza, hidratação e proteção fazem pequenos milagres à pele!


Cremes, laser, botox, pellings, e, para algumas mulheres, cirurgia plástica. A medicina e a indústria cosmética oferecem cada vez mais soluções eficazes para combater o envelhecimento e as imperfeições da face. Hoje é possível corrigir a textura e disfarçar rugas com procedimentos pouco invasivos e cada vez mais acessíveis.

Um dos cuidados mais importantes para ter uma pele bonita e saudável é a prevenção ao longo do tempo, e isso envolve limpeza, hidratação e proteção solar. Quanto mais cuidados houver a tempo e horas, menos invasivos serão os tratamentos para combater o envelhecimento no futuro. Se formos prevenindo e tratando a pele, é possível mantê-la em bom estado, sem precisar de procedimentos cirúrgicos. E mesmo quando as incisões são necessárias, serão muito menores e com resultados comparáveis aos procedimentos maiores.

A idade e a sua relação com os cremes
Os cuidados a ter com a pele devem estar de acordo com a idade e com a existência de problemas específicos. Não adianta uma mulher de 30 anos usar um creme para 60 anos à procura de vantagens. Um creme muito concentrado em ativos anti-idade, por exemplo, pode trazer mais problemas que benefícios. Um cosmético para uma pessoa de 60 anos é demasiado gorduroso para alguém de 30 e pode desencadear acne. Os produtos devem ser usados de acordo com a faixa etária correspondente, senão acabam por ter efeitos contrários. Além disso, os produtos concentrados costumam apresentar ácidos na fórmula, o que pode causar irritações e resultados negativos em peles mais maduras.

Tratamentos para cada idade
Saber envelhecer faz parte da maturidade. Querer ter pele de 20 anos aos 50 é pura ilusão. É por este tipo de enganos que surgem aqueles rostos esticados ou desfigurados por procedimentos exagerados. No entanto, alguns cuidados frequentes garantem a beleza da pele de forma harmoniosa ao longo dos anos. Veja quais são, de acordo com cada faixa de idade:

20 anos: proteção solar, limpeza e hidratação suave são os pontos mais importantes. A higienização deve ser feita com produtos não agressivos e sem álcool. Além disso, é comum a formação de acne nesse período e, nesses casos, é preciso fazer um tratamento específico de acordo com a orientação do dermatologista.

30 anos: proteção solar e hidratação previnem marcas superficiais e mantêm a pele vistosa e brilhante, com aspeto jovial. É altura de começar a usar cremes específicos anti-idade, nutrindo a pele. É possível que já existam algumas manchas do sol e cicatrizes de acne no rosto, que podem ser tratadas com laser ou peeling.

4 0 anos: hidratação, limpeza de pele, ginástica facial e o uso cremes anti-idade no período noturno retardam o envelhecimento. A aplicação moderada de toxina botulínica pode ajudar a amenizar linhas e rugas mais acentuadas e prevenir que a pele fique marcada. O fumo é o principal inimigo de uma pele saudável, o que se torna mais evidente nessa fase da vida. Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados e, nalguns casos, recomenda-se o uso de suplementos orais, com nutricosméticos. Como em todas as outras idades, a proteção solar é indispensável.

45 anos: nesta idade, a face já apresenta uma queda de gordura e, para reverter essa flacidez e estimular o colágeno, são recomendados tratamentos com aparelhos que realizam uma contração da pele, laser, luz ou ácido retinóico. A radiofrequência é uma boa opção para levantar a área das sobrancelhas. Cada vez mais usada, as artistas americanas fazem-no frequentemente.

50 anos: é preciso aumentar a proteção solar e adotar um protetor mais alto. É recomendável o aumento da frequência das sessões de laser, infravermelho e radiofrequência, além de um peeling anual para homogeneizar a textura e a coloração cutânea. De acordo com os sinais da pele, hoje é possível pensar em injeções que dão volume e disfarça os defeitos da idade ? para isso são usados o ácido hialurónico e enxertos de gordura. Nesta fase, muitas pessoas exageram em busca da juventude perdida e acabam por piorar o aspeto da face.

60 anos ou mais: continuam os cuidados da fase anterior, porém agora com mais intensidade. Para quem não fez tratamentos preventivos, será necessário recorrer a procedimentos mais invasivos e cirurgias plásticas para um maior rejuvenescimento da pele. Se o grau de flacidez cutânea for muito avançado, é possível fazer cirurgias pequenas, incluindo na área do pescoço.

 
7 comentários
  • raquel vozone
    10 de Dezembro
    tenho 70 anos e até o cardiologista onde fui de rotina ,me disse que eu ainda era uma mulher muito bonita,gostei .O pior foi chegar a casa e não ter ninguem à minha espera.Um ombro amigo ,uma palavra que corrobora-se a do medico. Será que sou feia ,não é não senhor ,será que sou linda ? Você é um AMOR.Então porque razão eu vivo só sem um BEM,voce tem o destino da Lua que a todos encanta e não é de NINGUÈM .
  • Nicole Francisco
    5 de Dezembro
    Hello! Tenho 45 anos e não me sinto nada velha, pelo contrario sinto-me melhor agora do que quando era mais nova. Penso que vamos adquirindo maturidade e certas coisas já não incomodam tanto e claro o que conta é o estado de espirito, conheço gente nova que é mais velha do que eu em determinadas circunstancias. Be yourself and never let go! Como diz o nosso querido Dr.House na publiciade da L'Oreal Paris :-)
  • ver mais comentários »