Idade Maior

A singularidade dos Single Malts

Saiba o que é que faz de cada Single Malts um whisky único.


Efectuado exclusivamente a partir da cevada, a germinação dos Single Malts é desencadeada e logo interrompida para permitir a transformação do amido em açúcar (que se passa a chamar Malte) e, posteriormente, em álcool por efeito da fermentação, obtendo-se assim uma cerveja. De seguida, esta é concentrada através de uma dupla destilação descontínua. Exemplificando, partimos de uma cerveja com 100,000 litros a 7 por cento de álcool, terminando com 8,000 litros a 68 por cento. A cevada é susceptível de produzir uma gama de compostos aromáticos muito mais rica que outros cereais.

Também a secagem do malte com recurso ou não a fumo de turfa, as leveduras utilizadas, a duração da fermentação e, sobretudo, a natureza da destilação e a forma dos alambiques de cobre tipo pot still, faz nascer um produto diferente por cada destilaria. Mas nesta fase falamos apenas em spirit que é o verdadeiro "ADN? do whisky.

A importância dos cascos
Para falarmos em whisky necessitamos de uma maturação mínima de três anos em cascos de carvalho. Mais de 80 por cento desses cascos são provenientes dos EUA, onde estagiou previamente e o Bourbon whisky, enquanto o restante provêm de carvalho europeu, onde estagiou Sherry ou vinho de Jerez. A maturação pode durar 10, 12, 18, 21, 25, 30, 40 ou até 50 ou mesmo mais anos.

Obviamente que tal é oneroso não só no ponto de vista financeiro, mas sobretudo porque o whisky no casco evapora-se a uma taxa que pode rondar os 2 por cento ao ano. Mas o produtor assume esse custo exponencial se o casco de maturação continuar a contribuir positivamente. Ou seja, se as oxidações que promove no whisky aprofundarem a sua complexidade aromática. A decisão sobre o mix de cascos a utilizar não é meramente económica: é condicionada sobre qual a combinação que melhor potencia as particularidades do spirit de cada destilaria.

Leia ainda:

> As regiões do malte

> Uma questão de idade