Idade Maior

As regiões do malte

As características climatéricas das diferentes regiões escocesas têm uma influência directa no estilo de cada malte. Saiba porquê.


Tendo vindo a percorrer os diferentes aspectos básicos que ajudam a definir um whisky e que são mencionados na rotulagem, falta enquadrar o conceito de região de que é um exemplo o Single Speyside Malt: um single malt produzido numa destilaria localizada na região de Speyside. O mapa da Escócia  ilustra as regiões comummente aceites, embora não existam, como nos vinhos ?DOC?, entidades que regulem a utilização da região denominada.

O terroir dos whiskies
E compreende-se porquê: enquanto nos vinhos, o conceito de terroir é fundamental para caracterizar as uvas que têm de ser originárias daquela região, nos whiskies de malte, a cevada pode vir de qualquer lado, mesmo fora da Escócia. Nos maltes, os parâmetros para caracterizar a cevada são técnicos: tem que ser de determinada estirpe ou capaz de gerar determinado rendimento. Então o que é que varia em função da região? Apenas dois  aspectos particulares: a água utilizada no processo e que provém de uma nascente e o meio ambiente/clima que condiciona a maturação. Por exemplo, nas regiões costeiras (Islands, Islay), a atmosfera saturada de humidade influencia a percepção de salinidade e condiciona a maturação, mas nas regiões interiores, o solo granítico torna a água mais macia (Highlands central), neutralizando a sua influência.

Por fim, existem ainda aspectos históricos e de tradição que influenciam o estilo dos whiskies de cada região. É o caso dos  Speyside, numa região remota, longe dos ?cobradores de impostos? dos séculos  XVIII/XIX, onde factores naturais como  água em abundância e mais horas de sol no Verão, influenciavam o rendimento da cevada

Já as destilarias nas Lowlands, sem hipóteses de fuga aos fiscais, optaram por alambiques maiores que acentuam o carácter mais vegetal/floral dos whiskies. Em Islay, as destilarias utilizavam turfa como combustível para a secagem do malte, resultando em whiskies mais iodados/fumado. Guias como o ?Malt Whisky Companion? de Michael Jackson, indicam a localização de todas as destilarias, facilitando a compreensão das suas condicionantes.

Isle of Jura
Enquadrada na região ?Islands?, Isle of Jura é nome de uma ilha e de uma destilaria. É, na realidade, um local especial, só abordável a partir da vizinha ilha de Islay que, já em si, é um local remoto a sete horas de Glasgow, entre carro e ferry. Não passa de uma  ilhota com uma estrada de 50 quilómetros com a largura de um carro, em que vivem 200 almas e 5000 veados! Já para não falar de outras tantas focas...Foi por isso que o George Orwell aí se refugiou  para escrever 1984, precisamente um ano antes de morrer. Mas,  desde o ano passado, Isle of Jura passou  também a ter um pequeno hotel de cinco estrelas: chega-se  de hidroavião, almoça-se uma lagosta grelhada e assiste-se a uma prova orientada pelo inimitável Richard Paterson.

Misteriosa é a sua versão ?Superstition? que não revela a idade, embora pareça estar na casa dos 14 anos. Trata-se de um malte possante e encorpado, resultante da destilação em alambiques grandes, um tanto ou quanto rústicos. Algo ?químico?  e mentolado no aroma, exibe bem a madeira com as suas notas de passas/ameixas, pimenta e chocolate negro. Algum fumo. A experimentar?sem superstições.