Idade Maior

Vinho classificado

DOC, Regional ou vinho de mesa? Colheita, Reserva ou Garrafeira? Saiba avaliar correctamente as diversas classificações.


Genericamente, os vinhos que encontramos nas prateleiras seguem três grandes classificações: DOC (Denominação de Origem Controla), Regional e Vinho de Mesa.
A classificação DOC é atribuída a vinhos de regiões de reconhecida qualidade vitivinícola, em que a vinificação de castas autorizadas é feita seguindo apertadas regras, de forma a conferir-lhes a tipicidade da região classificadora e padrões de qualidade relativamente elevados. Mas dentro destas regiões existem sub -agrupamentosque dão enfoque a determinadas zonas classificadas que, por sua vez, se destacam dentro de uma Região DOC.

Vinhos Regionais
Os vinhos Regionais têm origem em zonas geográficas mais abrangentes, com regras de vinificação e utilização de castas menos limitativas. O recurso a castas e técnicas modernas são, por vezes, antagónicos às exigências das classificações DOC, fazendo com  que seja esta a classificação que mais prolifera sem que, com isso, um vinho regional tenha, obrigatoriamente, menor qualidade que um DOC. Aliás, grande parte dos vinhos ícones de cada uma destas regiões é, precisamente, classificado como Regional, fugindo, por opção do produtor, do ?aperto técnico? das classificações DOC.

Vinhos de Mesa
Finalmente, existem os chamados vinhos de mesa, sem proveniência regional obrigatória e que apenas seguem regras de vinificação limitadas pelo garante da saúde pública.
Por outro lado, existem as classificações meramente qualitativas, comuns às várias regiões. Por entre estas - e são muitas - encontramos os Reservas, Colheitas Seleccionadas, Escolhas ou Garrafeiras. O recurso a estas classificações, infelizmente cada vez mais simples desígnios de rótulo, vulgarizou-se e, malgrado o facto de estas estampagens estarem sempre sujeitas à aprovação das comissões vitivinícolas, temos produtores que só fazem reservas (logo nada reservaram), Colheitas Seleccionadas que são a entrada de gama, Escolhas? que ninguém de bom senso escolheria e Garrafeiras (que implicam guarda das garrafas em cave do produtor por um período mínimo de dois anos antes da comercialização) que apenas servem para escoar vinhos que, na devida altura, não se conseguiram comercializar.

Assim sendo, convém reter alguns pontos: não é forçoso que um vinho DOC tenha qualidade superior a, por exemplo, um vinho Regional. Alguns dos nossos melhores vinhos são vinhos Regionais porque provêem de castas não previstas para a região de proveniência ou porque o produtor entendeu vinificar de uma forma distinta da estabelecida. Vinhos como o Dado, de Álvaro de Castro e Dick Nieeport - lote em partes iguais de uvas provenientes do Dão e do Douro ? que, por conseguinte, é classificado como vinho de mesa, foi seguramente um dos nossos grandes vinhos. Vinho de mesa!