Idade Maior

Impacto psicológico da disfunção eréctil

É uma dificuldade comum para a qual já há respostas eficazes. Enfrentar o problema e pedir ajuda, evita o agravamento da situação.


A maior parte dos homens teve ou vai ter pelo menos um episódio de dificuldade com a erecção durante a vida. Esta situação pode ser explicada por diferentes motivos tais como o cansaço, o consumo de álcool, a ansiedade e o stresse.

Contudo, para a maior parte dos homens que vive esta experiência, mesmo que tenha passado por um episódio sem grande significado e por trás do qual não há nenhuma doença ou problema de saúde, esta situação cria uma grande ansiedade perante o que pode acontecer no próximo encontro amoroso.

O receio de falhar
A sexualidade masculina é construída à volta da ideia de que dar e receber prazer passa pela penetração e a disfunção eréctil, na maior parte das vezes, inviabiliza exactamente a penetração. Ora assim, no caso de se ver perante uma situação de dificuldade em obter rigidez no pénis, ou de a manter, muitos homens sentem-se fracassados, limitados e incapazes. O que antigamente era antecipado com excitação, entusiasmo e desejo, passa a ser um calvário.

Antes da relação sexual muitos homens que já passaram pela experiência de não ter rigidez no pénis, imaginam-se a falhar na hora H, desiludindo a outra pessoa, como se o prazer e a intimidade dependessem somente do coito. Assim, para muitos homens ter sexo é como ir para um campo de batalha, onde antecipam que serão vencidos e derrotados.

Vivem meses angustiados com esta expectativa, evitam a relação sexual, isolam-se e não falam sobre a sua dificuldade. Quando se encontram perante a possibilidade de ter uma relação sexual começam a imaginar-se a perder a erecção, ou a tentar manter a rigidez sem o conseguir; a ficarem atrapalhados e frustrados, e a serem expostos e vulnerabilizados na sua intimidade.

Preliminares vs Penetração
É comum que dêem menos atenção aos aspectos relativos à estimulação erótica e ao contexto, vivendo a sexualidade centrada no momento da penetração. Este é um problema escondido e silencioso, que raramente se partilha e, por isso, a tendência é para muitos homens saudáveis pensarem que isto só lhes acontece a eles.

Os aspectos psicológicos da dificuldade acabam por agravar o problema, uma vez que a ansiedade e a atenção exclusiva à rigidez são um factor que leva os homens por um lado a distrairem-se dos estímulos eróticos, e por outro, a aumentarem a probabilidade de existir uma dificuldade eréctil decorrente da ansiedade.

Uma verdadeira bola de neve. A disfunção eréctil é uma dificuldade comum e para a qual há respostas terapêuticas eficazes. Enfrentar este problema, aceitando-o e pedindo ajuda, evita que as expectativas negativas tomem conta da sua sexualidade.

Dra. Patrícia Pascoal- Psicóloga Clínica e Sexóloga

Para ficar a saber mais sobre disfunção eréctil, antes de procurar o seu médico, consulte a página www.vivebem.com