Idade Maior

Próstata: prevenção pode ser a solução

, 1 comentários

É o tipo de cancro mais frequente nos homens a partir dos 50 anos. Mas uma boa alimentação pode ajudar a preveni-lo. Saiba mais.


Embora a medicina ainda não tenha descoberto como evitar todos os tipos de cancro, alguns podem ser detectados precocemente, de maneira a ser diagnosticado o tratamento adequado. Nunca é demais lembrar que quanto mais cedo for detectado um cancro, maior a probabilidade de cura.

Cancro da próstata
No nosso país, o cancro da próstata é o tipo de cancro mais frequente no homem, tendo até  uma taxa de ocorrência superior ao cancro da pele. A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino, localizando-se à frente do recto e sob a bexiga. O tamanho da próstata saudável é semelhante ao de uma avelã e tem a forma de um donut. A uretra, o tubo através do qual flui a urina, passa através da próstata. Se por acaso a próstata aumentar muito de tamanho, comprime a uretra, havendo o risco de causar problemas urinários, pois impede o fluxo da urina.

O número de mortes por este tipo de cancro está bastante abaixo do número de novos casos diagnosticados, o que significa que esta doença é bastante tratável ou que tem uma evolução longa, já que há casos em que o doente de cancro da próstata acaba por morrer de outra causa.

Como prevenir
O estilo de vida e a dieta podem ser factores determinantes para evitar este cancro. Uma alimentação rica em antioxidantes, vitaminas A, D, E e selénio, presentes  em alimentos como o pão, os cereais, a fruta, a cenoura, os espinafres, a melancia, a cebola, o alho cozinhado e o vinho tinto parecem ter algum papel protector contra o cancro da próstata.O diagnóstico precoce, é, no entanto, a maneira mais fácil de prevenir a doença. Uma das formas de a detectar é a realização de toque rectal e doseamento de PSA (antigénio específico da próstata), a partir dos 50 anos.

Tipos de cancro mais frequentes


Infecção ou prostatite: Infecção da glândula que se manifesta por dificuldade em urinar, ardor ou dor à micção e febre. Poderá ser o primeiro sinal de doença prostática.

Hipertrofia benigna da próstata (HBP): A HBP acontece quando se dá um crescimento anormal de células prostáticas benignas. A próstata aumenta de volume e exerce pressão contra a uretra e bexiga, interferindo com o fluxo normal de urina. Este problema é muito frequente nos homens, a partir dos 50 anos. Pode requerer tratamento médico ou cirúrgico.

Cancro da próstata: Não apresenta qualquer sintoma em fase inicial, podendo ser detectado em associação com um quadro de HBP ou por um aumento dos valores de PSA ou pela alteração do toque rectal, obrigando à necessidade de realização de uma biopsia prostática.

Características
A maioria dos casos de cancro da próstata manifesta-se por um carcinoma. Entre as várias características a analisar, destaca-se  a semelhança que existe, ou não, entre este tumor e a glândula prostática de origem e o grau de semelhança é medido pelo score de Gleason:um Gleason baixo significa que o tumor é mais semelhante à glândula prostática, enquanto um Gleason alto (máximo 10) significa o contrário. Habitualmente, um Gleason baixo corresponde a um melhor prognóstico.

A evolução da doença pode ser medida pela maneira como se espalha, ou seja, se está confinada à próstata ou se já passou para outros órgãos. O PSA, a idade e o estado geral do doente também são indicadores importantes.

Tratamento
Um doente de próstata pode recorrer à cirurgia, a protatectomia, ou seja, na ressecção da próstata. A radioterapia é uma alternativa, podendo ser realizada externa ou internamente (braquiterapia). Também é válida a utilização de agentes farmacológicos que antagonizam o efeito estimulante dos androgénios, de modo a inibir o desenvolvimento do cancro da próstata. Esta técnica é chamada de hormonoterapia. A quiomioterapia também pode ser indicada, em certos casos. A terapia mais adequada deverá ser estabelecida pelo médico, tendo em conta o tipo de tumor, o estádio da doença, a idade e as preferências do doente e  tendo sempre em consideração os possíveis efeitos secundários de cada uma das opções terapêuticas.

Mais informações em www.ligacontracancro.pt e www.portaldasaude.pt
1 comentários
  • Paulo Nascimento
    20 de Abril
    Olá, a todos! Por necessidade de informação para fins pessoais consultei o vosso domínio e o conteúdo aí encontrado foi direto e bastante esclarecedor, o que me tranquilizou em relação ao meu caso médico. Sou,pois, muito grato a todos Vós pelo serviço prestado.Ando saudoso desta terrinha maravilhosa e seu povo tão especial. Deixo o meu abraço brasileiro e um muito obrigado!