Idade Maior

Os meus, os deles e os nossos


deixe a sua opinião
  • Nome
  • E-mail
  • Comentário
últimos artigos
Juntar uma  família desavinda numa época festiva pode ser uma tarefa complicada. Com o Natal à porta, algumas famílias vêem-se confrontadas com novas situações familiares devido a divórcios ou a   desentendimentos que as obriga a adoptar um estilo de celebração diferente.

Quando os filhos estão separados
Por exemplo, celebrar o Natal com filhos separados que voltaram a casar e cujo pareceiro(a) tem filhos de outra relação pode representar um grande desafio. E não pense que à medida que os anos passam, a situação torna-se mais fácil. A verdade é que, em muitos casos, complica-se e bastante. Mas a época festiva exige mais tolerância e também um maior esforço em prol da paz e da boa vontade entre todos. Por isso, este Natal, se lhe cabe a si receber toda a  família em sua  casa, deve ter em consideração alguns pontos importantes para que corra sem sobressaltos.

Em primeiro lugar, tente criar novas tradições e rituais familiares. O primeiro ano após uma separação é o mais difícil tanto para os seus filhos, como para os seus netos. Lembre-se que se trata de uma época especial e, por isso, deverá ajudar a cicatrizar algumas feridas mas, ao mesmo tempo, fortalecer os novos elos de ligação.

Problemas de comunicação são, frequentemente, responsáveis por desentendimentos familiares. Tente fomentar a comunicação e o respeito entre todos os membros da família. Seja um bom ouvinte mas não force as suas opiniões e evite criticar as dos outros. Mas se não conseguir evitar os desentendimentos, então, nesse caso, mantenha-se fora da discussão e não atire "lenha para a fogueira". Confie que as coisas vão-se resolver e tudo vai melhorar.

Para que as celebrações corram pelo melhor é aconselhável que planeie o almoço ou jantar de Natal com alguma antecedência e cuidado. Tenha em atenção a disposição dos lugares à mesa porque, embora pareça ser uma questão insignificante, a verdade é que na hora do jantar fará toda a diferença. E procure não ter à vista elementos que possam, de alguma forma, causar desconforto aos seus familiares (por exemplo, fotografias do ex-marido ou ex-mulher do seu filho(a).

Quanto aos novos membros, mesmo que não esteja satisfeito com a união e não queira aprofundar a sua  relação com os filhos dos novos parceiros, deve, no entanto, convidá-los, por uma questão de respeito e de boa educação.

Procure saber mais sobre eles e não se esqueça de os incluir na lista de presentes, mesmo que seja apenas uma lembrança. Uma pequena atenção que será vista como um grande gesto da sua parte. Lembre-se sempre que ao afastar os novos membros de si poderá estar também a afastar o seu filho ou filha.

Ex-noras e ex-genros
Quando existe uma ligação extremamente forte com os sogros, o ex-marido ou ex-mulher continua a marcar presença nas reuniões familiares, o que torna a gestão familiar ainda mais exigente. No entanto, a  presença de uma ex-nora ou ex-genro, embora desconfortável para o seu filho ou filha e para o respectivo novo parceiro ou parceira, é bastante positiva para os mais jovens que sofrem menos com o rompimento desses laços familiares.

Daí que talvez seja conveniente, ainda antes de o Natal, falar com todos e tentar salientar os benefícios desta situação, sendo o mais sincero possível e tentando perceber qual a melhor solução para toda a família.


Como vai organizar o seu Natal este ano? Partilhe connosco os planos para a Consoada.