Idade Maior

10 descobertas surpreendentes sobre sexo

, 2 comentários

Todos os dias a comunidade científica descobre mais uma verdade sobre a sexualidade humana. Conheça as dez últimas mais surpreendentes.


Seria de esperar, depois de séculos de experiência, que o homem já soubesse tudo o que havia a saber sobre sexo. Longe disso. Na verdade, ainda hoje continuam a descobrir-se novos elementos sobre a forma como o sexo pode afetar as nossas vidas. Aqui ficam as dez  últimas descobertas mais surpreendentes.

10 ? O sexo não tem idade
Mais de três quartos da população com mais de 70 anos pratica sexo, ao contrário do que muitos deles esperavam quando eram mais novos. Um estudo independente da revista New England Journal of Medicine descobriu que mais de metade dos homens e mulheres entre os 75 e os 85 anos de idade praticam sexo, pelo menos, duas vezes por mês.

9 ? A vida sexual é mais longa nos homens
A esperança média de vida dos homens é inferior à das mulheres, no entanto, no que toca à sexualidade, os homens têm uma vida mais longa. Aos 55 anos, os homens têm em média pela frente mais 15 anos de atividade sexual, enquanto as mulheres têm apenas 10.

8 ? A culpa varia consoante o género
Os homens tendem a sentir-se mais culpados depois de cometerem uma infidelidade, enquanto as mulheres sentem-se piores depois de uma transgressão emocional, mas ambos são egocêntricos. ?Se um indivíduo assume que todas as pessoas, independentemente do sexo, estão muito preocupadas com o mesmo tipo de infidelidade que ele, então este indivíduo estaria consequentemente a fazer deduções falsas que o levariam ao sentimento de culpa?, afirmou a investigadora Maryanne Fisher, uma professora da Universidade de Santa Maria em Halifax, no Canadá.

7 ? Porque esperam as mulheres?
Segundo um estudo publicado na revista Theoretical Biology, as mulheres esperam para praticar sexo porque estão a agir sob um impulso biológico, que as leva a certificarem-se que se trata de um parceiro biologicamente adequado antes de iniciarem uma vida sexual com ele. O homens alinham unicamente para provarem que estão à altura do desafio.

6 ? Prazer sofrido
Os homens que são sexualmente muito ativos durante os 20 e os 30 anos, sobretudo os que se masturbam com muita regularidade, sofrem de um risco mais elevado de cancro da próstata, de acordo com cientistas da Universidade de Nottingham (Inglaterra). No entanto, esse risco diminui com a idade e quando se atinge os 50 anos. Aliás,  até pequenas doses de atividade sexual podem ajudar a proteger contra a doença.

5 ? Sexo e felicidade lado a lado
As mulheres que se sentem sexualmente satisfeitas são felizes, independentemente da idade. No entanto, está ainda por confirmar se o sexo as torna felizes ou se as mulheres felizes tendem a praticar mais sexo. Mas, segundo Susan Davis do Programa de Saúde para Mulheres da Universidade de Manash, na Austrália, a falta de libido pode afetar a auto-estima de uma mulher, bem como a sua relação. ?Eles apenas não se sentem bem consigo mesmas.?

4 ? Extensores de pénis funcionam?

Segundo um estudo realizado na Universidade de Turin (Itália), os extensores de pénis funcionam. Comprovou-se que pelo menos uma marca específica que utiliza o mesmo princípio de tracção utilizado na cirurgia ortopédica - esticar gradualmente o órgão genital - funciona. O pénis foi aumentado em mais de 2,5 centímetros.

3 ? O ponto G pode não existir
O famoso ponto G é conhecido por ser uma zona erógena do corpo feminino. Uma área do tamanho de um feijão, localizada no interior da vagina, capaz de produzir elevados níveis de prazer e orgasmos, pelo menos para algumas. Mas um novo estudo conclui que o ponto G é imaginário ou que talvez a sua existência seja muito duvidosa.

2 ? O cheiro da excitação
A transpiração de excitação tem um odor diferente de uma transpiração normal. E segundo um estudo publicado na revista de neurociência The Journal of Neuroscience, as mulheres conseguem distinguir o cheiro causado pela excitação.

1 ? Espiritualidade é sensual
A espiritualidade surte um grande efeito na vida sexual de um casal adulto, sobretudo nas mulheres. Muito mais do que a religião, impulsividade ou álcool. Uma pesquisa, conhecida como A Escala da Espiritualidade Transcendente, relaciona a falta de conetividade, universalidade e o sentimento de realização. O estudo concluiu que a falta de conetividade exerce o papel mais importante na sexualidade espiritual, conduzindo a mais sexo com mais parceiros, frequentemente sem preservativo.
2 comentários
  • Beatriz Pio Gourgel
    1 de Fevereiro
    gostei de aprender mais sobre sexo, mas quero também fazer uma pergunta relaccionada ao sexo: sobre sexo oral o que acontece se uma mulher engolir o espermatozoide do seu parceiro.
  • Antonio Fernandes da Silva
    20 de Novembro
    Muito bom uma matéria cheia de esclarecimento,gostei de ler sobre o assunto e ímportate