Idade Maior

Círculos viciosos

Sabia que as relações extraconjugais surgem muitas vezes por causa de problemas anteriores ao casamento e relacionados com o passado do casal?


Anatomia de uma infidelidade (continuação)
«As aventuras extraconjugais surgem muitas vezes por causa de questões anteriores ao casamento relacionadas com o passado das pessoas», diz a terapeuta de Toronto, Carole-Anne Vatcher.

Linda* foi educada por uma mãe carinhosa e cuidadosa, mas que lhe inspirava medo sempre que tentava aproximar-se dela. «Se concordávamos com ela, estava tudo bem», recorda Linda, de 46 anos. «Mas se fôssemos contra os seus desejos ou tivéssemos sentimentos com os quais não concordava, então era melhor não falarmos com ela ou sofreríamos a sua ira.»

Em 1991, quando Linda casou com Jeff*, caiu, instintivamente, nos mesmos padrões de comunicação. «Se eu sentisse alguma coisa que achasse que o meu marido iria ficar zangado comigo, simplesmente não lhe dizia nada», recorda Linda. Quando finalmente resolvia partilhar os sentimentos com o marido, já estavam guardados há tanto tempo que as palavras lhe saíam agressivas.

Saber partilhar
Em resposta, Jeff ficava na defensiva e não respondia. Linda regressava então à sua velha estratégia de infância e não falava mais sobre qualquer assunto que a aborrecesse. Tornou-se um círculo vicioso. Como Linda achava sempre que não se podia abrir com ninguém, tornou-se vulnerável a qualquer pessoa que a fizesse sentir que podia. E foi isso precisamente que aconteceu quando Luke*, um colega, apareceu na sua vida. «Fazia-me sentir bem; eu podia dizer-lhe tudo», conta Linda. «Não era acusador, apoiava-me e dava-me bons conselhos. Ao mesmo tempo, partilhava comigo os sentimentos mais profundos, e isso era muito comovente.»

Um beijo roubado levou a um encontro secreto num motel. Depois, a um segundo e a um terceiro, durante 18 meses. Quando Linda finalmente revelou o seu caso amoroso a Jeff, ficaram acordados até de madrugada a conversar. Comprometeram-se a retomar a relação e frequentaram um seminário sobre casamentos.

«Aquele seminário ensinou-me a procurar respostas na infância para saber o que me impedia de estar à vontade com o meu marido», diz Linda. «Também nos deu uma orientação sobre como comunicar melhor.»

«Agora, temos uma relação mais aberta», diz Jeff. «E embora nem sempre estejamos de acordo, temos sido capazes de conversar acerca de algumas questões difíceis sem que ela fique agressiva, e eu, na defensiva.»

Continua no próximo capítulo: Primeiro está o trabalho

Por Line Abrahamiam - www.seleccoes.pt