Idade Maior

Vai ser bom, não foi?

A ejaculação precoce afecta um em cada quatro portugueses. Conheça as causas e os tratamentos possíveis.


?Vai ser bom, não foi??: é um dos outdoors da campanha nacional de informação sobre a ejaculação precoce ou prematura, um problema que afecta um em cada quatro homens portugueses. Uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Andrologia (SPA), em parceria com a Janssen-Cilag.

As causas
A ejaculação precoce é um problema que causa vergonha e frustração, não só para o homem mas também para a mulher. É definida como uma resposta sexual involuntária, muito rápida, antes ou depois da penetração. Existe portanto uma ausência, constante ou intermitente, de controlo da ejaculação durante o coito.

O assunto tem sido estudo por sexólogos que tentam estabelecer barreiras quantitativas para determinar se um homem sofre ou não de ejaculação precoce ? quando ocorre um a três minutos após a penetração ou quando não se consegue ir além dos 10 a 15 movimentos de penetração.

Embora as causas do problemas sejam muito mais psicológicas e emocionais do que físicas, existem factores orgânicos que podem explicar a dificuldade do homem em controlar o seu orgasmo, nomeadamente inflamações no pénis, na uretra e na próstata, ou superestimulação, entre outras.

Como tratar o problema
Em primeiro lugar, deverá procurar um médico a fim de determinar a causa do problema. Depois e consoante o caso em particular, pode tentar colocar em prática alguns exercícios e técnicas: por exemplo, reduzir a ansiedade, usar, se necessário, até dois preservativos, pois diminuem a sensibilidade do pénis, aplicar na glande cremes que também provocam esse efeito e procurar posições menos estimulantes.

Spray contra ejaculação precoce
Reduz a sensibilidade do pénis, evitando a ejaculação precoce, de acordo com um estudo apresentado no Congresso da Sociedade de Medicina Sexual da América do Norte. O spray é composto por agentes anestésicos, lidocaína e prilocaína, e deverá ser comercializado nos EUA já no próximo ano.

Leia ainda:

> A terapia de casal

> Quanto deve durar a relação sexual "ideal"?